O que é preciso para abrir uma Consultoria Ambiental?
O que é preciso para abrir uma Consultoria Ambiental?
O que é preciso para abrir uma Consultoria Ambiental?
13/11/2020

Devo abrir um CNPJ ou não?

 

Esta dúvida é premiada viu?! Se você tem intenção de começar a trabalhar no ramo da consultoria tendo o seu próprio negócio, certamente deve ter se perguntado isso, não é mesmo? 

Neste post vamos discutir quais são as possibilidades mais viáveis para que você possa dar os primeiros passos com maior segurança e tranquilidade.

 

Requisitos mínimos para se poder trabalhar na área de consultoria ambiental

 

Em primeiro lugar, você precisa saber que toda atividade que envolve a prestação de serviços especializados – o que inclui os serviços de consultoria ambiental – é regulada pelo governo de duas formas:

 

(a) através do conselho profissional da sua profissão, por meio do reconhecimento de sua capacidade e responsabilidade técnica da sua área de atuação e

(b) através da sua atividade comercial, que pode ocorrer via pessoa física (CPF) ou pessoa jurídica (CNPJ), pagando impostos sobre a prestação de serviços.

 

Dessa forma, entende-se que para que você possa atuar profissionalmente como um consultor ambiental, você precisa ter uma formação específica em algum curso da área, regulado por um conselho profissional, e também uma forma de poder se relacionar comercialmente com seus clientes através de:

 

(a) uma empresa sua com o devido CNPJ, capaz de emitir notas fiscais e pagar os impostos relativos ao faturamento, ou

 (b) um registro de autônomo na prefeitura da sua cidade, para que você possa emitir recibos de prestação de serviços e recolher o imposto sobre serviços (ISS) municipal.

 

A diferença entre o autônomo e a empresa

 

A primeira grande diferença entre ter uma empresa e ser autônomo registrado em prefeitura é que a empresa paga impostos menores, pois ter um CNPJ lhe permite usufruir de benefícios tributários em relação ao prestador autônomo que opera seus recebimentos na pessoa física. Um exemplo claro é o imposto de renda, cuja alíquota para a pessoa jurídica (empresa de consultoria) é da ordem de de 4,8% sobre o faturamento, enquanto para a pessoa física é de 27,5%. Por outro lado, quem tem empresa precisa arcar com os custos de manutenção dessa empresa ativa, tais como contabilidade, declarações anuais, taxas de registro, alvarás e etc. 

 

Já o autônomo, apesar de pagar mais impostos que uma empresa, não tem todos esses custos. Então para você saber qual pode ser a melhor opção para começar, peça ajuda a um contador, pois dependendo do tamanho da sua operação (só alguns trabalhinhos esporádicos) não vale à pena abrir um CNPJ.

 

Quem vem primeiro: o ovo ou a galinha?

 

A parte legal dessa história é que para se estar qualificado para abrir uma empresa basta você ser maior de 18 anos, ter um CPF e um endereço. - "Nossa, mas só isso?!"

 

SIM, você pode abrir uma empresa de consultoria ambiental mesmo que você não tenha formação na área. Mas é importante ressaltar que será preciso, contratar alguém com essa qualificação para assumir a responsabilidade técnica pela sua empresa, para que a mesma possa operar.

 

O oposto também pode ocorrer – se você tem a formação profissional para atuar, mas não tem a empresa, você pode se associar ou fazer uma parceria com quem tenha uma empresa operante. É bastante comum pessoas absolutamente sem formação técnica formal donas de empresas de sucesso que dependem de responsabilidade técnica, como é o caso de algumas construtoras, que nem sempre pertencem a engenheiros, por exemplo.

Entenda aqui que o que constrói o seu futuro não são as suas condições presentes, mas sim as suas decisões. Empreenda sempre, mas com responsabilidade, beleza?!