É POSSÍVEL DESPOLUIR UM RIO?
É POSSÍVEL DESPOLUIR UM RIO?
É POSSÍVEL DESPOLUIR UM RIO?
22/01/2021

Dentre os diversos problemas ambientais existentes, a poluição dos rios é um dos mais complexos de se resolver.

 

Essa poluição pode ser causada por interferências antrópicas como: lançamento irregular de esgoto, descarte inadequado de resíduos sólidos e atividades que causam processos erosivos no solo e consequentemente assoreiam os rios. 

 

O avanço tecnológico é um aliado quando falamos em técnicas ambientais, estratégias e serviços que antes não eram possíveis sem o auxílio da tecnologia, que é o caso da despoluição dos corpos d'água.

 

Mas será que é possível despoluir um rio completamente?

 

Não somente é possível, como também trazemos exemplos para vocês: A cidade de Londres, na Inglaterra, conseguiu revitalizar o rio Tâmisa, considerado o mais sujo da Europa no século 19. Os ingleses instalaram uma eficiente estação de tratamento que removeu quase 100% do esgoto jogado no rio. Hoje, o local é um importante ponto de lazer da cidade. O rio Neiva, em Portugal, e o rio Sena, em Paris, na França também são exemplos de rios que eram poluídos e foram recuperados com sucesso.

 

Apesar de ser um processo bastante complexo dependendo do grau de poluição, hoje em dia a tecnologia permite que isso se torne possível. 

 

Em um rio há vários tipos de “impurezas”: as resultantes de ações antrópicas e as naturais. Se elencarmos as impurezas provenientes dos processos humanos, há uma série de tecnologias que reduz a níveis bastante toleráveis tais efeitos.

 

No entanto, o controle de alguns desses poluentes, como os particulados de pequena dimensão, ou alguns compostos químicos, tem custo bastante elevado. Sendo assim, o grau de investimento no processo de despoluição pode resultar em maior ou menor efetividade. Quanto às impurezas de origem natural, elas fazem parte do ciclo hidrológico.

 

E quais são as técnicas utilizadas para despoluição dos rios?

Há algumas técnicas avançadas para despoluir os rios, que são elas:

 

Gradeamento

Essa é uma técnica utilizada tanto em rios quanto em estações de tratamento. Nela, grades de metal são inseridas na parte rasa do rio, retendo materiais grosseiros, como papéis, garrafas plásticas e pedaços de vidro que são levados com a chuva.As grades, com um interceptor, abrem e fecham conforme as características físicas dos objetos que precisam ser encarcerados. Depois, o material é jogado em uma caçamba de lixo.

 

Flotação

A técnica pode ser utilizada em rios menores. É realizada uma separação físico-química da sujeira a partir de substâncias despejadas na água, como polieletrólito e sulfato de alumínio, as mesmas que são utilizadas em estações de tratamento de água (ETA).

Essas substâncias têm efeito coagulante, fazendo com que as partículas sólidas flutuem. Um equipamento injeta oxigênio no fundo do rio para que os fragmentos não afundem e sejam coletados

 

Dragagem

Já essa técnica, diferentemente da flotação, pode ser aplicada em rios maiores. Ela funciona da seguinte forma: uma embarcação equipada com bombas de sucção faz a retirada de camadas de sujeira, acabando com as “placas” que ficam depositadas no fundo do rio.

O material, então, é recolhido e transportado, por meio de tubulações, para um local adequado. Quando há excesso de lodo, usa-se uma ferramenta “fatiadora”, que parte esses resíduos e torna a secção mais fácil.

 

Técnicas nucleares

As técnicas nucleares são usadas em reservatórios e lagoas. Como é feito o processo? Bom, um radioisótopo pode ser utilizado para fazer o mapeamento do trajeto e da quantidade de poluentes presentes na terra e na água.A radiação que é emitida pelo átomo radioativo acaba penetrando nos materiais, tornando-os facilmente detectáveis por dispositivos especiais, mesmo em números bem pequenos.

 

Técnicas ecológicas

Esse tratamento de água ecológico é de fácil implantação em canais, rios e lagos que estão contaminados. Essa técnica processa a recuperação e também transforma todo o entorno do curso, comunidade e meio físico.

 

O sistema consiste na instalação de jardins que flutuam, ou seja, ilhas artificiais que são cobertas por plantas aquáticas que filtram os poluentes sem o uso de produtos químicos. O custo da despoluição a partir dessa técnica é menor que a metade do custo com estações de tratamento de águas residuais tradicionais, graças à ativação e integração do ambiente fluvial circundante.

 

Técnica microbiológica

A técnica consiste em aplicar, diretamente nas águas, produtos feitos a partir de fungos, bactérias ou leveduras específicas. Estes microrganismos utilizam os poluentes orgânicos como fonte de energia e liberam gases menos nocivos à saúde humana. 

 

Como evitar a poluição dos rios?

 

Tratamento de efluentes - Observando os ambientes urbanos e sua estrutura, um ciclo do saneamento que funcione com qualidade e eficiência seria capaz de despoluir as águas dos rios. Isso significa coletar, afastar e tratar os esgotos, garantir o bom funcionamento das redes de drenagem pluvial e realizar a destinação correta de rejeitos e resíduos. No entanto, ainda que tais medidas sejam determinantes para que os rios voltem a ter a possibilidade de correrem vivos, úteis e sadios, essa ainda é uma realidade muito distante no Brasil. 

 

Educação ambiental - Parece ser simples, mas muitos problemas existentes seriam evitados com a consciência ambiental, não somente dos governos como principalmente da população, afinal uma das principais causas de poluição dos rios é o descarte inadequado dos resíduos sólidos.